Manifesto


A cultura audiovisual contemporânea impregnou nossos meios criativos.
A inquietude cotidiana.
Repetição infinita.
Remixes de figuras.
Desconstruímos símbolos e reconstruímos significados.
Dessacralizamos a obra de arte e a espalhamos.
Não mais precisaremos apreciar um produto imagético em uma galeria.
Não mais cultuaremos marcas de signos frágeis e descartáveis.
Abraçamos nossa incoerência.
Somos o ULTRAPOP.
O pós modernismo exaustivo.














< Voltar